sábado, 9 de dezembro de 2017

Como agarrar uma herdeira


Caroline Trent é uma astuta e espirituosa jovem da aristocracia inglesa que perdeu os pais e passou a ter a sua fortuna administrada pelo tutor, Oliver Prewitt, que só queria levar vantagem às suas custas, querendo que a mesma casasse a todo custo com seu filho, Percy Prewitt. Segundo Caroline, ela preferia dar à luz a um bastardo do que a um Prewitt e sem aguentar mais as investidas do tutor, decidiu fugir daquela casa.

No momento em que decidiu fugir, tendo saído sorrateiramente da casa de Prewitt, Caroline foi pega por engano por um prestador de serviços do Departamento de Guerra Inglês, Blake Ravenscroft, que estava de olho há vários meses em Oliver Prewitt, por suspeita de contrabando e espionagem, e em Carlotta De Leon, suspeita de ser sua ajudante. Blake sequestrou Caroline achando que era a espanhola Carlotta.

Como Caroline não queria nunca mais pensar na possibilidade de voltar à casa de Prewitt, ela até gostou de ser sequestrada por Blake, a fim de ganhar tempo até completar 21 anos, o que aconteceria em poucas semanas, para que ela própria pudesse administrar a sua fortuna e se livrar de uma vez por todas daquele tutor asqueroso.

Depois de um tempo, Blake percebeu que havia sequestrado a pessoa errada e que teria que consertar o seu erro, devolvendo Caroline a Prewitt e ir em busca da verdadeira Carlotta De Leon. Mas, não teve quem fizesse Caroline voltar à casa de seu tutor. Dessa forma, a jovem convenceu Blake e seu amigo James Riverdale que ela seria muito útil para ajudar na concretização do sequestro de Carlotta e na descoberta dos segredos de Prewitt no que dizia respeito aos crimes pelo mesmo cometidos contra a Coroa Inglesa, já que Caroline conhecia toda a casa de Prewitt, bem como sua rotina.

Os três jovens, então, juntaram-se e passaram a pôr em prática o plano para desmascarar Oliver Prewitt e ajudar Caroline a salvar a sua fortuna, o que resultou em uma divertida narrativa e um final recheado de boas surpresas.



Gostei da história, no entanto, achei um pouco arrastada. Alguns acontecimentos demoraram demais a acontecer e outros importantes aconteceram rápido demais. Mas, a protagonista salvou a história. Foi uma das personagens mais engraçadas construídas por Julia Quinn. Adorei Caroline. Uma jovem perspicaz, inteligente, astuta e espirituosa, como eu já mencionei, o que faz o leitor dar boas risadas.

Como agarrar uma herdeira
Livro 1 - Agentes da Coroa
Julia Quinn
Ed.Arqueiro
292 págs.
Minha classificação:🌟🌟🌟🌟

domingo, 17 de setembro de 2017

Do que são feitas as estrelas?


 

"Aproveite o dia de hoje e confie o mínimo possível no amanhã"


Eu não poderia deixar de começar a falar sobre esse livro maravilhoso sem a frase mais clichê que pode existir no mundo dos igs e blogs literários, “este foi um dos livros mais lindos que eu já li”. E foi mesmo!!! Antes que você saiba sobre o que é a história e a minha opinião sobre a mesma, tenha a plena certeza de que é um livro que você precisa ler, pois ninguém conseguirá expressar em palavras a magnitude dessa linda história. Disso eu tenho certeza. Um dos meus favoritos lidos em 2017.

Malu, Sofia e Lauren, talentosas jovens, vêm de diferentes partes do mundo para participar da seleção de alunos na famosa escola de artes de Nova York, Watson, e tornam-se melhores amigas. Inseparáveis, as três passam a compartilhar todos os momentos durante o tempo que passam na Universidade, entre aulas, namoros e festas.

A história é narrada por Malu, brasileira, de classe média que precisou fazer muitos sacrifícios financeiros e pessoais para buscar o seu sonho de ser uma artista formada na Watson. Lauren, irlandesa, uma linda modelo já reconhecida internacionalmente, é a mais espirituosa das três amigas e com seu jeito irreverente e engraçado, fala o que pensa, fazendo com que as amigas aproveitem ao máximo as festas que acontecem no campus. Já Sofia, mexicana, a mais discreta das amigas, é filha de um dos homens mais ricos do mundo, proporcionando, assim, uma vida mais confortável às amigas, tornando as coisas mais fáceis para cada uma delas durante o tempo que passaram em Nova York.

Durante os quatro anos que as amigas estudaram em Watson, muitos acontecimentos na vida de cada uma contribuíram para torná-las ainda mais próximas. Foram muitos momentos felizes em que o leitor torce, a cada página, pelo sucesso de cada uma. Mas, também, aconteceram tragédias, onde o sentimento de perda e tristeza que assola as amigas faz com que queiramos nos transportar pelas páginas do livro para dar um abraço em cada uma delas e dizer que somos solidários a tudo pelo qual elas estão passando.

"Nos momentos de grande turbulência, às vezes, tudo o que precisamos é de silêncio e solidão"

Eu amei esse livro. A narrativa da autora é maravilhosa, com personagens muito bem construídos e um enredo muito bem montado que proporcionou um desenrolar fluido e bem concatenado de toda a história, onde todos os acontecimentos foram explicados, deixando, ao final, o leitor com muita saudade de todos que participaram dessa linda e emocionante história.  




A autora escreve divinamente bem e nos deixa lindas e emocionantes mensagens durante o decorrer de toda a história, fazendo-nos entender que apesar de todas as perdas que tenhamos na vida, precisamos seguir em frente, tendo sempre o cuidado para não esquecermos de ir em busca de nossos sonhos, só assim entenderemos do que são feitas as estrelas.

"Enfim, um colapso é algo que nos leva a questionar o que verdadeiramente importa na vida, é o que revela quem realmente somos, que nos permite descobrir do que somos capazes de suportar e o que estamos dispostos a enfrentar para realizar os nossos sonhos. As pressões que a vida impõe podem ser transformadas na energia que nos manterá firmes e brilhantes!"
Sou muito grata à autora, Jana Meilman, por me permitir fazer parte dessa constelação tão linda, de seus parceiros, cedendo-nos esse livro maravilhoso para leitura. Gratidão é a palavra que me define neste momento. E que Deus dê-lhe sempre muita inspiração para nos presentear ainda mais com histórias tão lindas e emocionantes. Muito obrigada, Jana!!!


Título: Do que são feitas as estrelas?
Autora: Jana Meilman
Independente
Págs.:227
Ano:2017
Minha avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟💗


Um Novo Recomeço



Estamos acostumados a ler lindas histórias de amor, onde a mocinha apaixona-se pelo mocinho e, muitas vezes, enfrenta várias adversidades e, ao final, tudo termina bem ou não. 

Nesse livro lindo da autora parceira Cida Costa, ela nos traz algo diferente, continua sendo uma história de amor, como tantas outras, mas agora o protagonista não é uma mocinha indefesa, em busca de um amor, mas um rapaz, Pedro, que se envolveu com Júlia, uma jovem rica, filha do dono da vinícola onde Pedro trabalhava, Seu Ferdinando, no Rio Grande do Sul.

Pedro e Júlia apaixonaram-se e se encontravam escondido para que pudessem viver uma linda história de amor. Ocorre que, um dos empregados de Ferdinando os viu namorando na cachoeira da propriedade e avisou àquele. Para evitar que sua filha se envolvesse mais ainda com um dos seus empregados, o pai de Júlia mandou que ela fosse estudar na Inglaterra.

Os anos se passaram e os dois jovens tomaram rumos diferentes. Após alguns anos, Júlia volta para o Brasil para comemorar o seu noivado com um rapaz que conheceu na Inglaterra e reencontra Pedro na cachoeira, momento em que os dois resolveram relembrar os velhos tempos e se beijaram. Júlia não contou a Pedro que havia voltado para noivar e Pedro iludiu-se, achando que tinha reencontrado o seu velho amor.
"Desejo e loucura
Não tem como não sentir
Química perfeita
Impossível resistir"  
A essa altura, Pedro havia estudado, se especializado em vinhos e não mais queria trabalhar para Ferdinando; queria mudar de vida e montar sua própria vinícola. Ele sabia que não seria fácil, mas estava decidido a enfrentar todos os desafios para conseguir realizar o seu sonho. Pediu as contas ao pai de Júlia e, quando este ia organizar-se para pagar os direitos de Pedro, um empregado veio até ele e contou o que havia presenciado na cachoeira, Pedro e Júlia, novamente, aos beijos. Ferdinando, então, decide prejudicar Pedro e tirá-lo da vida de sua filha. Forjou um furto, onde Pedro foi incriminado e preso, passando alguns anos na cadeia.

"Ferido e magoado
Injustamente acusado,
Um golpe bem planejado
Mais um inocente massacrado"

Quando Pedro saiu da cadeia, retomou a sua vida. Casou com Iris, uma linda jovem com quem ele já havia tido um rápido romance anteriormente e passou a trabalhar e lutar por um novo recomeço, com um brilhante crescimento profissional. Pedro só não contava que Júlia iria voltar para o Brasil e tentar destruir tudo o que ele havia construído com tanto esforço e dedicação. Resta saber se ela vai conseguir.



Gosto muito da forma com que a autora desenvolve as suas histórias. Ela possui uma escrita simples e sem arrodeios, o que faz com que a leitura desenvolva-se de forma célere e prazerosa. Uma particularidade que amei nesse livro foi ver, no início de cada capítulo, um poema escrito pela própria autora (alguns transcritos nesta resenha) que se relaciona com o mesmo. Deu um toque ainda mais romântico a toda história. Adorei.

Achei fofo os agradecimentos que a autora fez no final do seu livro, dentre eles, aos igs e blogs literários que divulgam o seu trabalho. Quero que ela saiba que nós é que temos a agradecer por, pessoas como ela, nos proporcionarem conhecer histórias tão lindas e emocionantes. Gratidão sempre a autores como você, Cida! Boa Sorte, sempre!!!

Esta é uma história que possui uma linda mensagem de amor, dedicação e perseverança, que nos ensina que, embora os nossos sonhos muitas vezes pareçam impossíveis, o primeiro passo a dar para conseguir conquistá-los é acreditar, pois os ventos só irão nos ajudar, se soubermos aonde queremos ir. Vale muito a pena a leitura de ‘Um novo recomeço’, esta vocês podem apreciar sem moderação, já os vinhos...😉

"O amor falou mais alto
O coração está aceso,
Um brinde ao amor
E a "Um Novo Recomeço" "
 O livro foi, gentilmente, cedido pela Autora Cida Costa.

Outros livros da Autora:

"Amor Destino e Pôr do Sol" (Romance)
"Poesia Amor e Amizade" (Poesia)
"Meu Cowboy (Conto)



Sobre a Autora:




Redes Sociais da Autora:
Fan page: @escrevereumaartecc
Instagran: @autora_cidacosta
Wattpad: @cidacosta1
Twitter: @cida_escrev
Blog: www.autoracidacosta.blogspot.com


domingo, 3 de setembro de 2017

Autora Parceira - Jana Meilman

É com muita alegria que anuncio mais uma autora parceira neste ano de 2017, que tem sido muito bom para o meu ig e o meu blog, pois tenho amado os livros que tenho lido com as minhas parcerias lindas.

Hoje, venho trazer para vocês um pouco da vida da Jana Meilman e de sua obra linda "Do que são feitas as estrelas?, que ela teve a gentileza de ceder aos parceiros para que lessem antes do livro ser lançado.

Uma inovação linda nesse livro, que eu amei de paixão, é que ele vem acompanhado com uma playlist, onde o leitor tem acesso, no livro físico, através do QR Code e no livro digital, através do Spotify. Amo essas inovações e, nesse livro especificamente, a autora trouxe, em cada capítulo, uma música que tem tudo a ver com a narrativa. Ficou muito gostoso de ler, pois música e leitura combinam em tudo.

Vamos conhecer um pouco sobre o livro, através da sinopse, e também sobre a autora. Assim que terminar de ler o livro, trago a resenha aqui para vocês. Só posso dizer que estou na metade e, até agora, estou amando a história. 💓



Sinopse:

O que as dificuldades que você enfrenta na vida tem a ver com as estrelas? A resposta para esta pergunta está no livro Do que são feitas as estrelas? narra a história de Malu, uma jovem atriz brasileira que vai em busca do seu sonho em Nova Iorque, para estudar na Watson School, uma das mais importantes escolas de artes cênicas do mundo, famosa por transformar seus alunos em grandes estrelas.
Na Watson, Malu conhece Sofia, uma mexicana carismática que faz parte de uma família singular e Lauren, uma irlandesa determinada e nada convencional.
Juntas as três amigas viverão romances, aventuras e descobrirão a força da amizade.
No entanto, para realizar o sonho de tornar-se uma estrela, Malu terá que tomar decisões difíceis e superar uma tragédia inimaginável. E será no momento de maior escuridão da sua vida que descobrirá do que são feitas as estrelas.
No momento o livro está disponibilizado apenas para parceiros literários. Ele não está a venda. Os leitores precisarão esperar apenas mais um pouco para adquiri-lo.




Sobre a Autora:

"Sou Jana Meilman autora do livro Do que São Feitas as Estrelas?, o meu primeiro livro.
Nasci e moro em Teresópolis, cidade serrana do Rio de Janeiro.
Curso Letras na Universidade Federal Fluminense, o que me proporciona um prazer indescritível.
Trabalhei por muitos anos como produtora editorial, ou seja, antes de ser uma escritora, eu já trazia livros para este mundo. O que me dá muito orgulho!
A literatura já me salvou várias vezes, de diversas formas. Sempre amei livros, quando pequena queria que a minha mãe lesse para mim o tempo todo, como ela não tinha tempo, eu dei um jeito, aprendi a ler sozinha aos quatro anos de idade, então me mandaram para escola, lá eu descobri a biblioteca, que para mim era o mundo inteiro a minha disposição.
De tanto ler aprendi a imaginar histórias e a conta-las. Não consigo pensar na minha vida sem a literatura. Na adolescência, quando sentia-me perdida, era nos livros que me encontrava e refugiava. Na vida adulta, quando enfrentei grandes dilemas, os livros sempre me acolheram e ensinaram muito. Quando achei que não suportaria a pressão da vida, novamente a literatura me salvou, dessa vez tornando-me escritora.
Como escritora vejo como meu maior desafio conseguir escrever a história exatamente como ela está na minha cabeça. Sempre sinto um certo pânico de não conseguir, mas até agora tem dado certo. Uma curiosidade sobre o meu processo de escrita, é que antes mesmo de começar a escrever o livro, eu crio uma playlist de músicas de acordo com a história e o perfil dos personagens. Como já tenho a base da história na minha cabeça a playlist expressa atmosfera daquele capítulo. Ouço a playlist e ela me inspira.
Clarice Lispector, Virgínia Woolf, J.K. Rowling, Jojo Moyes, Mia Couto, são grandes inspirações. Recentemente me apaixonei pela escrita de Victoria Aveyard. E para escrever o meu novo livro George R. R. Martin tem sido um grande professor.
Sinto-me privilegiada por ser escritora e ironicamente não encontro palavras para descrever a minha gratidão por ter sido escolhida para contar histórias. A inspiração é uma dádiva, a criatividade um presente e a capacidade de escrever a minha salvação".







sexta-feira, 1 de setembro de 2017

Uma lição de amor

Mais uma autora parceira de 2017, que, gentilmente, deu-me a oportunidade de ler uma linda e emocionante história de amor. Apresento a vocês, 'Uma lição de amor', da escritora Elysanna Louzada. Espero que gostem, tanto quanto eu amei esse livro!!! 💓




Ana Luísa é uma jovem simples, do interior e foi morar no Rio de Janeiro, onde teria mais oportunidades para trabalhar e estudar, oportunidade em que conhece os irmãos Eduardo e Otávio. ❤

De família muito rica, os dois rapazes apaixonaram-se por Ana Luísa e tornaram-se a família que ela não tinha, sendo capazes de tudo fazerem em busca do bem-estar da mulher que ambos amavam.

Muitos fatos (muitos mesmo!), envolvendo todas as personagens da história, acontecem e eu, particularmente, passei toda a narrativa torcendo para que Ana Luísa ficasse com aquele que eu elegi 😁 como merecedor de seu amor.💕



Uma história de amor, perdas, superação, perdão e recomeços que toca profundamente o coração do leitor, levando-nos às lágrimas em alguns momentos, mas, nos dando a certeza de que, no final, se houver amor, sempre valerá a pena.

"Apoio minha cabeça em seu ombro, ele me abraça e ficamos assim, sem nos preocupar com o que o amanhã nos reserva. Talvez hoje eu tenha a resposta para a pergunta que me fiz anos atrás sobre o que seria o amor. Concluo que o amor é o segredo da própria vida". 

A escrita da autora é simples e direta, o que faz a leitura transcorrer com muita facilidade e a edição do livro está muito bem feita, com uma excelente revisão gramatical e, no início de cada capítulo, a autora escolheu trechos de lindas músicas que têm a ver com o capítulo, o que demonstra um cuidado especial na elaboração de seu trabalho. ❤

Ahhh... e essa andorinha na foto 🕊😍, entendedores entenderão 😁😁😁.
.
Adorei esse livro, que me foi enviado pela Autora. Recomendo. 💕💕          

Sobre a Autora:


           Elysanna Louzada é apaixonada pelas palavras e acha que a leitura é a melhor maneira de sonhar. Entreter e educar são os dois principais eixos condutores de sua carreira literária. É capixaba e autora infanto-juvenil de obras adotadas em escolas e bibliotecas públicas e privadas, publicadas pelas editoras Paulinas e Seleções, já esteve na lista dos 10 mais vendidos da revista Veja (categoria Ebooks) com os romances Uma lição de amor e Herdeiros do Trono, Drama e Fantasia, respectivamente, voltados ao público Jovem/Adulto.
Saiba mais sobre a autora e livros publicados em:
Twitter: @ElysannaLouzada
Agendamento de palestras em escolas, livrarias, eventos e feiras literárias: elysannalouzada@gmail.com

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Os opostos se distraem


O livro da autora Jussara Souza, muito bem escrito, com uma revisão primorosa do vernáculo, o que dou muito valor, foi uma leitura diferente de todas que já fiz, com a qual aprendi muito, de verdade.
Com uma narrativa leve e rápida, por vezes engraçada, a autora nos mostra como a mudança em hábitos, como uma alimentação saudável, a prática de yoga e meditação e a saída de um emprego onde não se sentia realizada, fizeram-na alcançar uma melhor qualidade de vida, salvando, inclusive, o seu casamento com o Multitarefeiro (expressão dada pela autora a seu esposo, que tem a mania de anotar tudo o que tem a fazer).

Tive a sensação de estar lendo um diário da autora, onde ela consegue nos passar lindos e valiosos conselhos (já comecei a seguir alguns), todos fundamentados, para que tenhamos uma vida melhor e encontremos o nosso propósito de vida, ou seja, nossa missão.

Um dos trechos mais lindos do livro, na minha opinião:

“Ouço as pessoas dizendo: ‘Você precisa ir à igreja para se encontrar com Deus´. Mas elas se esquecem que Deus está em toda parte, principalmente dentro de nós mesmos. Não estou dizendo que devemos deixar de participar da missa, do culto, ou qualquer outra reunião que sua religião promove, aprovo totalmente e o faço por meio da minha crença. Mas acredito que, Deus também pode ser encontrado em um copo de água dado para um morador de rua que bate à sua porta, em uma palavra de apoio a um amigo que precisa, na tolerância ao próximo, no amor compartilhado dentro de casa com a família, na prece diária, ou seja, de várias formas onde haja o amor e a bondade. Somos tão egoístas que não percebemos que temos Ele ao nosso lado quando praticamos essas simples ações”. Eu penso exatamente assim...

Terminei o livro sentindo-me amiga da autora, pois me identifiquei demais com os sentimentos que ela externa através de seus relatos no livro. Uma mulher de fibra, corajosa e destemida que não tem medo do novo, da mudança, e foi capaz de mudar totalmente o seu estilo de vida para ir em busca da sua felicidade e da de todos que a cercam.


Uma leitura que vale muito a pena! Namastê!

Sobre a Autora:



Formada em Administração e pós-graduada em Controladoria Financeira, Jussara Souza descobriu-se escritora aos 39 anos de idade. Em 2015, seu Retorno de Saturno “particular” (segundo a astrologia o ciclo acontece aos 29 anos, mas ela teima que o dela foi aos 39) seria um incentivo para uma reviravolta na vida. As dificuldades no casamento e as insatisfações com a profissão a levariam para esse mundo encantador da escrita.

Baiana de nascimento, mas mineira de coração. Atualmente vive com o marido e os dois filhos de quatro patas em Taubaté, São Paulo, cidade onde chegou aos 18 anos com muitos sonhos.
Tem por hábito despertar bem cedo todos os dias para meditar e caminhar com o marido, a quem ela apelidou de Multitarefeiro (viciado em fazer lista de tarefas). Adora alimentar-se de maneira saudável e incentivar as pessoas a fazer o mesmo. Confessa que tem uma quedinha por chocolate e pão (chocolate de preferência acima de 50% de cacau e pão de fermentação natural).

Seu primeiro livro, Os Opostos se Distraem é um relato divertido dessa sua fase de transição. Da tentativa de salvar o casamento, encontrou sentido para a vida com a ajuda de técnicas milenares de bem estar. E, o mais importante, despertou seu propósito de vida adormecido, a escrita.

Visite o site da autora.

Conecte-se também com ela nas redes sociais

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

O livro dos espelhos

“Todos erraram e enxergaram apenas suas próprias obsessões pelas janelas através das quais tentaram ver, janelas essas que na verdade nada mais eram que espelhos”
Esse livro chamou muito a minha atenção pela sinopse. Não tinha visto nenhuma resenha ainda sobre ele, então, não sabia ainda a opinião de ninguém sobre o mesmo. Arrisquei e, sinceramente, não sei se deu muito certo.

Joseph Wieder é um famoso professor universitário da Universidade de Princeton, com importantes obras na área da psicologia, especializado em amnésia retrógrada, e tem como orientanda de mestrado a brilhante estudante Laura Blaines, que o acompanha em suas pesquisas sobre a mente humana. Richard Flynn, um outro importante personagem da história, também é estudante universitário e divide uma casa com Laura.

Em dezembro de 1987, o corpo do Professor Wieder é encontrado, em sua casa, em circunstâncias bastante suspeitas, imerso em uma poça de sangue e rodeado por vários papéis de seus manuscritos que, segundo Richard Flynn, eram de um livro que o professor havia enviado para a editora, mas nunca fora publicado.

"Wieder tinha dito a Richard que já havia assinado um contrato pelo livro no qual estava trabalhando, gerando rumores entre seus colegas. Então Wieder já havia enviado o manuscrito ou uma descrição do projeto à editora antes de morrer, e talvez tivesse recebido pelo menos parte de um adiantamento. Por que então o livro nunca foi publicado?"


Richard Flynn, que sonhava em ser um escritor de sucesso, enviou um manuscrito de um livro que escreveu sobre a morte do Professor Wieder para um agente literário, Peter Katz. No entanto, parte desse manuscrito está faltando, que é o final da história, na verdade, sobre o que realmente aconteceu no dia do assassinato do mencionado professor. Ninguém sabe onde se encontra o final desse manuscrito. Só quem pode explicar o final da história é Flynn, mas este morre com pouco tempo depois de ter enviado aquele manuscrito e, agora, cabe a Peter Katz descobrir o que houve na morte do professor.

Flynn contata um outro agente literário que está falido, John Keller, que se interessa pela história e passa a investigar o que ocorreu no dia da morte do professor Wieder. Como Keller achava que não tinha prosperado em suas investigações, mandou o caso para um policial aposentado, que tinha trabalhado no caso à época, Roy Freeman, que passou a desvendar todo o mistério.
"Comecei seguindo o rastro do livro de Richard Flynn, e não só não o havia encontrado, mas estava soterrado por um onte de detalhes sobre pessoas  e acontecimentos que se recusavam a formar uma imagem coerente. Tive a sensação de estar tateando no escuro, num sótão cheio de coisas velhas, sem conseguir entender o real significado dos objetos que foram largados ali ao longo dos anos por pessoas que eu não conhecia e sobre as quais em não fui capaz de descobrir nada de realmente signficativo". (John Keller) 

O leitor passa toda a história pensando uma coisa sobre o deslinde do assassinato do professor Wieder. O antigo policial vai atrás das pessoas que estiveram no dia do assassinato na casa do professor, mas as histórias não se encaixam completamente, até que, finalmente, ele consegue desvendar o mistério.

Em toda a história, a pessoa que parecia a mais sensata jamais foi o que pensávamos e, possivelmente, todos os envolvidos erraram em suas conclusões sobre a morte do professor Wieder, já que as pessoas não eram o que pareciam, elas eram meros reflexos de um espelho, uma imagem virtual que nunca existiu.

Título: O livro dos espelhos
Autor: E.O.Chirovici
Editora: Record
Págs.:318
Ano: 2017
Minha avaliação: 🌟🌟🌟

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Dupla Identidade



Antes de qualquer coisa, posso dizer a vocês que essa história me surpreendeu bastante, com um final inesperado e surpreendente, que vale muito a pena ser lida!

Jane era casada com Arthur, mas tinha uma vida muito conturbada, embora seu esposo fizesse tudo para agradá-la. Ela vivia triste, pelos cantos da casa, e precisava tomar remédio para dormir e controlar sua ansiedade. Jane não gostava de sair de casa. Vivia reclusa, sem ter noção do que acontecia fora do seu mundo.

Quando Jane era jovem, foi apaixonada por Marcos, mas, por algumas razões, o romance dos dois terminou muito próximo de casarem e como Arthur era muito bem de vida, a mãe de Jane fez questão que ela casasse com ele, para que nada nunca lhe faltasse. A relação de Jane com a mãe, por sua vez, era das piores possíveis, em decorrência de acontecimentos do passado de Jane, acreditando esta que tudo era culpa de sua mãe.

Ocorre que, fatos passaram a acontecer na vida de Jane, mostrando ao leitor que muita coisa talvez não fosse como ela imaginava. Crimes em série passaram a acontecer na cidade onde ela morava com Arthur e acontecimentos do passado de sua vida vieram à tona, trazendo respostas a situações que antes eram inexplicáveis, fazendo com que o leitor surpreenda-se (e muito!),  com o final da história.

Esse é o tipo do livro que não podemos colocar muita coisa na resenha, pois tudo tende a ser spoiler (rs) e o bom do livro é o segredo que ronda toda a história e o leitor nem imagina que existe, pois só descobrirá nas últimas páginas e nem adiante ir ler direto as últimas páginas (vou logo avisando, porque tem gente que ama ler logo o final), pois só entende quem leu o livro todo.  

Recomendo! É uma leitura rápida e surpreendente. 👍

Título: Dupla identidade
Autora: Keslley Cremonezi
Independente
Ano:2017
Págs. 159
Minha avaliação: 🌟🌟🌟🌟                  

segunda-feira, 31 de julho de 2017

Meu melhor amigo é gay


Carlos, heterossexual, tem um grande amigo, Márcio, que é homossexual não assumido. Ao descobrir, Carlos ficou tão indignado que desprezou completamente aquele que considerava ser o seu melhor amigo.

Depois de um tempo, Carlos arrepende-se e, para externar os seus sentimentos, cria um blog que denominou ‘O meu melhor amigo é gay’ e passa a relatar tudo sobre sua amizade com Márcio.
"Todavia, o que quero dizer mesmo é que, apesar de tudo, apesar de todos os meus erros e de eu ter agido de forma quase imperdoável, estou aqui para pedir o seu perdão. Eu sei que não será fácil, mas... quando escolhemos ser amigo de uma pessoa, escolhemos aceitar as qualidades e os defeitos que essas pessoas trazem consigo. Porém, como somos tão egoístas, só queremos para nós o que as pessoas têm de bom, porque é bem mais fácil de aceitar".  (Gente!!! Esse foi o quote mais lindo que achei!! Que verdade, não é???)
No blog, além de Carlos escrever sobre o quanto a amizade de Márcio é importante para ele, passa a narrar fatos que acontecem em Recife, cidade onde se passa a história, e retratam a intolerância e preconceito de um grupo de jovens encapuzados que atacam pessoas pertencentes a grupos de minorias, como os sem-teto e homossexuais, por exemplo. Isso porque Carlos testemunhou o grupo cometendo um crime bárbaro, de madrugada, em uma das praças da cidade. 

Carlos consegue reconciliar-se com Márcio, depois de pedir-lhe desculpas. Ocorre que, no círculo de amizades dos dois jovens protagonistas, além de algumas pessoas maravilhosas, existem pessoas que não aceitam a homossexualidade de Márcio, e, por isso, tratam-no com preconceito e hostilidade, e, como um tiro de ricochete, esses sentimentos atingem também Carlos que acolheu o seu amigo, o que, Guilherme, o mais preconceituoso e violento do grupo, não aceita.

"Se não querem aceitá-lo do jeito que ele é, tudo bem, mas você pelo menos deveria respeitá-lo. Ele não faz mal a ninguém".


A amizade de Carlos e Márcio enfrentará diversas formas de preconceitos, fazendo com que, em um determinado momento da história, suas vidas virem um verdadeiro inferno, quando torcemos, com todas as nossas forças, que o preconceito não vença mais uma vez.

"Só me pergunto quantos ainda precisam perder a sua vida de forma injusta para que o mundo entenda o significado da tolerância ao próximo"

Eu adorei esse livro!!! Dielson Vilela consegue nos fazer parar para pensar em o quanto é triste uma pessoa ser preconceituosa. Em alguns momentos do livro, senti-me triste pelo sofrimento em decorrência da violência que alguns personagens da história tiveram que enfrentar e por saber que, apesar de ser uma história fictícia, as situações narradas realmente acontecem e os agressores, na maioria das vezes, ficam impunes.

Este é um livro que tem muito a ensinar a todos nós e dentre várias mensagens lindas que ele tem, a mais certa é que, independente de você aceitar ou não a condição sexual do outro, você tem que respeitá-la. Isto é uma obrigação!
"Não podemos escolher como as pessoas vão nos machucar, mas podemos escolher como vamos superar as feridas causadas e deixadas por elas. Isso é seguir em frente, isso é superar e viver".
Pois é gente, super recomendo esse livro. Você sentirá, com certeza, ao terminar de lê-lo, que ele fez de você uma pessoa melhor. Disso eu tenho certeza!!!


Título: Meu melhor amigo é gay
Autor: Dielson Vilela
Editora: Coerência
Ano: 2017
Págs.:159

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Autor Parceiro 2017 - Dielson Vilela


Pessoal, hoje quero apresentar a vocês mais um autor parceiro do nosso blog, neste ano de 2017. Fiquei muito feliz pela parceria, pois o autor realizou uma seleção dos igs e blogs que se inscreveram e dentre 35 inscritos, escolheu 10 e o 'Livros com Pipoca' ficou dentre os selecionados. É muita felicidade!!! 

Só sabe a importância de uma seleção dessa as pessoas que estão envolvidas com redes sociais literárias, pois, como amamos a literatura e temos a necessidade (mesmo!) de dizer aos outros o que achamos de um livro lido, ficamos em êxtase (eu, pelo menos, fico!) quando um autor se interessa para que demos nossa opinião sobre o livro dele. Isso, para mim, é uma grande honra!

Estou muito feliz com a parceria com o autor Dielson Vilela, pois ele tem-se mostrado uma pessoa muito organizada. Criou um grupo no whatsapp, onde discutimos assuntos da parceria e tem o cuidado de enviar seu livro a cada um dos parceiros, com ordem de leitura e publicação de resenhas. Estou amando!!! Só tenho a agradecer ao autor pela parceria, pois ainda estou no comecinho e já tem tanta gente boa por aí...Darei o meu melhor!!!

Então, vamos conhecer um pouquinho sobre o autor??? Eis a sua biografia:

"Dielson Vilela tem 28 anos e é natural do Recife/PE. É formado em Letras – Português/Inglês e Especialista em Metodologia da Tradução-Inglês. Atualmente, trabalha como coordenador e professor de inglês em um curso de idiomas. Leitor voraz, ele é apaixonado pelos mais diversos gêneros e títulos da literatura brasileira e internacional, além de ser amante de filmes, séries e música. Ávido pela escrita, iniciou seus trabalhos como autor de web, em um site de auto publicação. Sua primeira obra alcançou, em curto período, mais de 9 mil leitores, impulsionando-o a levar a trama para a publicação em papel: “O meu melhor amigo é gay”".


Estou muito ansiosa para ler o livro do Dielson, pois a temática nos faz refletir o quanto devemos respeitar as pessoas ao nosso redor. Se você aceita ou não a orientação sexual do seu semelhante é uma coisa... Agora, que você tem que respeitar, isso aí é uma obrigação!!! 

Quero muito ver a abordagem dada pelo autor sobre o tema e compartilhar com vocês assim que ler. Tenho certeza que vou adorar!!!

Vejamos, então, a sinopse do livro:

"Carlos e Márcio são dois amigos de longa data. Um dia, um acontecimento leva Carlos a descobrir que o seu melhor amigo, Márcio, é gay. Ele se vê paralisado diante dessa revelação. E, agora?

Em meio a essa surpresa, Carlos se torna testemunha de um crime covarde, e decide criar um blog para narrar as angustias que o sufocam. Nesse processo, ele se depara com a violência motivada pelo preconceito que traz como vítimas vários segmentos considerados minorias pela sociedade.

Ao Ler “o meu melhor amigo é gay”, nos deparamos com aventuras, perigos, brigas, reencontros e uma boa pitada policial que fazem do livro uma narrativa realista, fácil de ser lida, compreendida e vivenciada pelo leitor como sendo parte integrante da história, independente da sua condição sexual, religiosa, cultural ou ideológica".

Assim que ler, trago o meu ponto de vista, aqui, para vocês! Beijos em tod@s!!!

quarta-feira, 5 de julho de 2017

O Navio das Noivas

"As únicas pessoas que têm todas as respostas são as que nunca se defrontam com as perguntas".
Hoje, eu trago para vocês a primeira Resenha de uma Leitura Coletiva da Jojo Moyes de que estou fazendo parte. O livro escolhido para o mês de Junho foi 'O Navio das Noivas'.





Cerca de seiscentas mulheres enfrentam uma viagem de seis semanas, da Austrália até a Inglaterra, em um navio porta-aviões, o HMS Victorius, no ano de 1946, a fim de reencontrar os seus maridos, oficiais ingleses em serviço no exterior, após a guerra.

A narrativa gira em torno da vida de quatro dessas mulheres: Margareth, Frances, Avice e Jean, que viajaram na mesma cabine e, por isso, precisaram conviver durante todo o percurso, compartilhando muitos segredos e enfrentando os percalços que porventura pudessem existir durante o tempo em que passaram juntas.



Uma das grandes expectativas da viagem são as cartas e telegramas que as esposas recebem de seus maridos e o maior medo de cada uma delas é que nessas correspondências exista a frase “Você não é bem-vinda. Não venha”. Talvez alguma delas tenha recebido um telegrama assim... Caso a esposa não fosse bem-vinda, teria que descer no próximo porto e voltar para a Austrália. De cortar o coração...

"Abandonamos tudo, todas as pessoas que amamos, nossa casa, nossa segurança. E para quê? Para sermos agredidas e depois rotuladas de vagabundas? Para que a Marinha interrogue sobre nosso passado, como se fôssemos criminosas? Para passar por tudo isso e no fim alguém dizer que não somos bem-vindas? Porque não há garantia, certo? Nada prova que esses homens e suas famílias vão nos aceitar, não é mesmo?"

No decorrer do livro, o leitor passa a conhecer cada uma dessas quatro mulheres e, ao final, já está íntimo de cada uma delas, amando umas e, talvez, odiando alguma delas.

Uma avó que aparece no início do livro, nos dias atuais, é uma daquelas quatro protagonistas. Passamos o livro todo pensando em quem ela pode ser e eu, particularmente, errei, mas adorei o final que a ela foi atribuído.


Tive uma certa dificuldade com a leitura. Achei-a arrastada e, para mim, o livro ficou bom mesmo nas últimas setenta páginas. Há partes com longas descrições que achei desnecessárias, mas, gostei do desfecho da história. A autora deixou claro qual o destino de cada uma das personagens principais e eu adoro quando isso acontece em um livro, tudo fica devidamente explicado.

"A baía de Plymouth estava linda, uma despedida digna para o velho navio e uma boa recepção para as esposas, pensou Highfield. Algumas nuvens brancas deslizavam pelo céu límpido e o mar cintilante salpicado de espuma refletia de algum modo um pouco da glória daqueles homens".

Um livro que retrata sentimentos como amor, amizade, decepção e perdão na vida das personagens principais, fazendo com que o leitor torça por cada uma delas, que, com suas particularidades, conquistam os nossos corações.


Título: O Navio das Noivas
Autora: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Ano: 2016
Págs.: 382
Minha avaliação: 🌟🌟🌟1/2



terça-feira, 27 de junho de 2017

Carta de amor aos mortos

"Sei que escrevi cartas para pessoas sem endereço neste mundo. Sei que vocês estão mortos. Mas posso ouvir vocês. Ouço todos vocês. Nós estivemos aqui. Nossa vida teve valor".

Hoje, eu trago para vocês a resenha de um livro que é queridinho de muita gente. Encontrei na parte juvenil da livraria, mas quis muito comprar porque estava sendo muito comentado. Tinha visto muita gente falar muito bem do livro, então, eis minha opinião sobre o mesmo...




Laurel perdeu a irmã, May, em circunstâncias que só ela tem conhecimento. O que aconteceu, no momento da tragédia, só Laurel pode contar. .

Por ser uma pessoa muito tímida e devido o trauma que a atingiu com a tragédia, conversas que Laurel não tem coragem de ter com os vivos, ela tem com os mortos, através de cartas, que são sempre para pessoas famosas (Amy Winehouse, Kurt Cobain, Judy Garland, dentre outros). Laurel gosta muito de música e, nos trechos das cartas que escreve aos mortos, ela sempre faz referência à música de alguma forma.

"Judy, eu li que sua primeira lembrança era da música. Da música que tomava conta de uma casa. E, um dia, de repente, a música começou a sair pela janela. Pelo resto da vida, você teve de correr atrás dela".

Laurel sentia muita saudade da irmã e como era muito apegada a ela e por se sentir, de certa forma, culpada pela morte da mesma, suas cartas expressam, sempre, todo o sofrimento e tormento que Laurel passa, apesar de ter bons amigos ao seu redor.



"Tenho pensado nisso. No que significa ver a infinidade de cada momento, de cada parte. Quero ser purificada, quero queimar todas as lembranças ruins. E talvez a paixão faça isso. Que uma vida, uma pessoa, um momento que você precisa manter, fique com você até a eternidade. May sorrindo para mim. Nós duas, pequenas, no festival de outono, enquanto nossos pais dançavam. Sua música tocando. As folhas à noite, refletindo as luzes brancas. E cada pequena estrela que brilha mais quente do que imaginamos".

Achei a história muito triste, cansativa e arrastada e que Laurel viveu muito a vida da irmã durante toda a história, mas, ao final do livro, percebemos que todo o processo foi necessário para que Laurel obtivesse as respostas de que precisava e, finalmente, tentasse ser feliz, livre de traumas.

"A verdade é bela, não importa qual seja. Mesmo que seja assustadora ou má. É a beleza simplesmente porque é verdade. E a verdade é radiante. A verdade nos faz ser nós mesmos. E eu quero ser eu".

Li o livro com o Google do lado, pois alguns mortos, para quem Laurel escrevia as cartas, eu nunca tinha ouvido falar e a autora sempre faz uma associação aos fatos que narra na carta com a pessoa a quem a mesma é dirigida. Bem interessante!

Apesar da história não ter prendido-me o bastante, recomendo a leitura, por nos mostrar que, muitas vezes, precisamos passar por certas situações para que possamos enxergar a vida e todos que nos cercam de uma maneira melhor e que a saudade de uma pessoa muito próxima a nós, que partiu, nunca vai passar, independente do que façamos das nossas vidas. Com o tempo pode amenizar, mas passar totalmente, nunca! 💕

"Não posso trazer você de volta. Mas eu me perdoei. E perdoei você. May, eu amo você com tudo o que sou. Por muito tempo, eu só queria ser como você. Mas precisava descobrir que também sou alguém, e agora posso levar você, seu coração com o meu, aonde quer que eu vá".



Título: Carta de amor aos mortos
Autora: Ada Dellaira
Editora: Seguinte
Págs.337
Ano: 2014
Minha avaliação: 🌟🌟🌟🌟

domingo, 18 de junho de 2017

A guerra que salvou a minha vida


Sabe aquele livro que você tem vontade de acampar numa livraria e recomendar para todo mundo ler??? Pronto, é este aqui!!!



Ada possui um pequeno problema que faz com que sua mãe a rejeite, trancafiando-a em casa para que ninguém a veja, pois, para aquela mãe desnaturada, Ada era uma vergonha.

A vida de Ada resume-se a cuidar do irmão menor, Jamie, que ela ama muito. Como Ada é proibida de sair de casa, só conhece as coisas do mundo pelo que Jamie lhe conta.

A segunda guerra mundial está para eclodir, então, as crianças de Londres são enviadas para cidades do interior da Inglaterra. Ada e Jamie aproveitam a oportunidade para fugirem de casa e juntarem-se às crianças que sairão da cidade, na tentativa de sair daquele inferno em que Ada vive.



Chegando ao interior, Ada e Jamie ficam na casa da Srta. Smith (Susan) que, a princípio, não os queria, mas, com o passar do tempo, é através dessa mulher que eles conhecem o significado de amor, respeito e dignidade. Em pouco tempo, eles formam o que Ada e Jamie não tinham lembrança de ter tido um dia: uma família. A nova vida é tão maravilhosa que Ada sempre pensa que tudo não passa de uma mentira.

"Eu sabia que a Susan não era real. Ou, ainda que às vezes fosse um pouquinho real, na melhor das hipóteses era temporária. Iria se livrar de nós tão logo a guerra terminasse ou a Mãe mudasse de ideia".




Após alguns meses, aquela mãe horrorosa aparece para buscar Ada e Jamie de volta para Londres ("Tem coisas piores do que bombas"), mas não por saudade ou amor, foi porque o Governo passou a cobrar dela pelo fato de seus filhos estarem sendo cuidados pela Srta. Smith, que recebia uma quantia do Governo por desempenhar aquele mister.

A guerra estoura e os bombardeios atingem a Inglaterra, quando a vida de Ada e Jamie será, para sempre, afetada.





Uma história linda e muito emocionante, onde, por diversas vezes, vi-me com vontade de colocar Ada (principalmente) e Jamie no colo e de esganar aquela mãe nojenta e desnaturada. Uma história sobre uma guerra que ceifou a vida de milhares de pessoas, mas deu a oportunidade de Ada e Jamie encontrarem um dos bens mais importantes na vida de qualquer ser: a liberdade. A guerra de Ada não foi travada mundo afora, mas sim dentro de sua própria casa, onde sua maior inimiga era a pessoa que mais devia amá-la. 

"Enfim compreendi qual era a minha luta e por que eu guerreava. A Mãe não faria ideia da forte combatente que eu havia me tornado".

Uma história para guardar no coração.

💗💗💗


Título: A guerra que salvou a minha vida
Autora: Kimberly Brubaker Bradley
Editora: Darkside
Págs.: 233
Ano: 2017
Minha avaliação: 🌟🌟🌟🌟🌟💗

terça-feira, 13 de junho de 2017

A Chave de Rebecca de Ken Follet

 Acho que todos aqui já sabem que Ken Follet é meu autor favorito. Então, vamos à resenha deste livro maravilhoso que ganhei de presente em um amigo secreto de Páscoa, onde trocamos livros.


A história se passa no Cairo, na época da Segunda Guerra Mundial, em que o espião alemão Alex Wolff, munido de um rádio, o livro Rebecca de Daphne du Maurier e um código secreto, precisa informar aos alemães sobre as estratégias de ataques dos britânicos ao exército alemão no Cairo.
Ardiloso e muito inteligente, depois de muito pensar como faria para descobrir as informações das estratégias de ataques britânicos, Wolff consegue atrair para a casa da dançarina mais famosa do Cairo (sua conhecida de longas datas), Sonja, um oficial britânico, Smith, que, enquanto envolvia-se em tórridas cenas de amor com Sonja, deixava sua pasta de lado e Wolff, escondido, aproveitava para pegar a pasta do oficial e ter acesso às informações de que precisava para passá-las, pelo rádio, aos alemães, utilizando o código secreto escondido no livro Rebecca.



Mas, Alex Wolff não contava encontrar, em seu caminho, alguém tão ardiloso quanto ele próprio: o Major William Vandam que, com a ajuda da bela e inteligente Elene, tentaria, a todo custo, impedir que Wolff conseguisse passar o código secreto para os alemães.


Como em todas as histórias de Ken Follet, envolvi-me bastante. Ora eu torcia para o vilão, ora para o mocinho, mas, há um determinado momento que nos identificamos com um deles e não mudamos mais de lado.
O livro é muito bom, embora não esteja entre os melhores de Ken Follet, na minha opinião. Amo a narrativa do autor, onde aprendo muito sobre História, já que ele insere fatos fictícios dentro de fatos que realmente ocorreram e com 'A Chave de Rebecca' não foi diferente. O final é eletrizante. Vale muito à pena a leitura. O livro foi publicado, originalmente, em 1980 e o filme foi lançado em 1985, sob direção de David Hemmings.